PROJETO ARQUITETÔNICO E ESTRUTURAL PARA GARAGENS

    Um eficiente projeto de garagens divide-se entre o projeto arquitetônico, que prevê adequada modulação de pilares e distribuição de vagas, e o projeto estrutural, que define perfeito ajuste dos pilares e vigas às necessidades estruturais do edifício. As estruturas de transição, resultantes de uma dificuldade de compatibilização entre estruturas superiores e inferiores, podem ser evitadas se o projeto prever uma integrada modulação entre arquitetura e estrutura e o emprego de lajes nervuradas ou concreto protendido.

    As leis que regulam as dimensões das vagas variam de cidade para cidade e devem ser analisadas e atendidas pelo profissional que irá elaborar o projeto. Ao definir a altura da garagem, é importante considerar o espaço ocupado pelas instalações elétricas e hidráulicas, que reduzem bastante o pé-direito.
    A conceituação básica é prever um projeto racional dentro das dimensões recomendadas, com acessos que permitam um fluxo rápido, sinalizado e sem obstrução para manobras internas e externas, com um máximo de regularidade e modularidade de vagas padrão. As vagas para deficientes não devem entrar nessa modularidade, por constituir pequeno número em relação ao total.
    A modulação ideal de pilares utiliza múltiplos de 2,5m, para que não sobrem vagas com metade do tamanho exigido, apresenta pilares distribuídos a pelo menos 7,5m de distancia, de maneira a oferecer conforto para a circulação de carros. O arquiteto ainda deve evitar a localização dessas estruturas na linha que divide as vagas das circulações, de maneira a liberar as curvas das manobras de entrada e saída das vagas.

Revista Téchne, Edição 117 ano 14, dezembro de 2006